Total de visualizações de página



SporTV News


Por SporTV.com Rio de Janeiro


video
 

O desabafo do presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, não passou batido no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Apesar de ter considerado infantil a atitude do autor da denúncia contra Ronaldinho Gaúcho, que foi suspenso e desfalcou o Galo contra o Internacional, o presidente do STJD, Flavio Zveiter, defendeu o auditor, em entrevista ao "SporTV News", e disse acreditar que Jonas Lopes de Carvalho Neto não levou em conta preferências pessoais na hora do julgamento - nas redes sociais, ele demonstra ser torcedor do Flamengo.

- A atitude dele, tenho certeza absoluta, foi um julgamento imparcial - afirmou Zveiter.

Apesar de demonstrar confiança no auditor, Zveiter revelou que haverá uma apuração pelas fotos postadas por ele na internet. No Facebook, por exemplo, Jonas Lopes publicou uma montagem do personagem Capitão Nascimento, personagem interpretado por Wagner Moura no filme Tropa de Elite, interpelando Ronaldinho Gaúcho na época em que deixou o Flamengo. Após a repercussão, ele resolveu deletar o perfil na rede social.

Ronaldinho Cap. Nascimento montagem Facebook (Foto: Reprodução / Facebook) 
Auditor postou uma montagem no Facebook que usa imagem de Ronaldinho (Foto: Reprodução / Facebook)
Segundo Zveiter, o auditor procurou o STJD e sugeriu que houvesse uma apuração. Quando isso aconteceu, já havia sido determinado um procedimento para verificar se houve ou não alguma infração.

- Ele me procurou para que a conduta dele fosse analisada, pois ele afirma que postou isso na internet há cinco meses e que o fato está totalmente dissociado do julgamento no qual ele foi o relator.

Se algo for constatado, Jonas Lopes pode ser punido. O presidente do STJD indica que não acredita em influência e lembra que a decisão de suspender de Ronaldinho Gaúcho não foi tomada apenas pelo envolvido na polêmica, embora ele defendesse pena maior. 

- A decisão que o auditor proferiu quando o julgamento foi voto vencido porque ele optou por suspender o Ronaldinho por duas partidas e os demais em uma partida.

Em nota, o auditor se defendeu. Ele afirmou que sempre pautou suas decisões sem levar em consideração o clube para o qual torce.