Total de visualizações de página


SporTV News

Jogo virtual que simula briga entre organizadas provoca reação do MP

 

Embora possa ser considerado diversão pelos jogadores, especialistas dizem que game pode estimular violência entre torcidas nos estádios

 

video

Por SporTV.com Rio de Janeiro

 

Ele é virtual, mas é capaz de retratar uma realidade bastante comum nos estádios brasileiros e nas ruas do país. Adaptação pirata de um jogo de ação que foi proibido no Brasil, acusado de estimular a violência, o game que simula brigas entre torcidas organizadas tem chamado a atenção do Ministério Público e outros órgãos. Ele preocupa pelo poder de incitar a violência (Assista ao vídeo).

Antes do duelo online, o jogador pode escolher a torcida que quer integrar, a partir das opções para cada região do país, e optar pelo tipo de luta que pretende usar. Em uma cidade virtual, os torcedores saem em bandos para brigar com rivais, nas ruas ou nas arquibancadas, enfrentam a polícia e ganham pontos conforme vão cometendo ações violentas. E o que pode parecer diversão ganha outra conotação.

Acostumado a trabalhar nos juizados criminais instalados nos estádios do Rio de Janeiro, o promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Marcelo Arsênio, destacou a necessidade de investigar se há ligação entre os jogadores e as organizadas, considerando que, na internet, há grupos de pessoas que acessam esses jogos virtuais associados a nomes de torcidas, muitas delas conhecidas e algumas com histórico de violência.

- Em uma primeira análise, sem dúvida, consigo identificar ma incitação à violência, a prática de crime. A gente tem que saber quem são as pessoas que estão atrás disso, o que elas querem, qual a finalidade, porque o jogo traz imagens de símbolos de torcida organizada - disse Arsênio, em entrevista ao "SporTV News".

Marcelo Arsênio, promotor do Grupo de Atuaçnao Especial de Combate ao Crime Organizado (Foto: Reprodução SporTV) 
Promotor Marcelo Arsênio compara jogo virtual
com realidade brasileira (Foto: Reprodução SporTV)
 
 
Embora muitos nomes de torcidas apareçam no jogo, não há uma ligação oficial das organizadas com o jogo. E também não significa que quem jogue virtualmente vá levar isso para a realidade. Mesmo assim, a semelhança preocupa. O temor é que o game sirva de "inspiração" para a prática.

- O jogo mostra exatamente o que acontece na realidade. O sujeito joga e se vê estimulado a continuar praticando aquilo que está na ficção na realidade - acredita o promotor.

A psicóloga Andréia Calçado confirma: o risco existe. A preocupação é ainda maior com os torcedores mais jovens.

- Não é para todos os adolescentes que (o jogo) vai causar problema ou influência. Mas, para aquele que já tem dificuldades em termo de estruturação familiar e de personalidade, que já tem transtorno psiquiátrico, pode ser algo que estimule a agressividade intensa, a agressão ao outro e a realização de atos ilegais.

Diretor da Federação de Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro (Fetorj), Flávio Martins discorda da utilização dos escudos de torcidas brasileiras no game e apoia uma investigação.

- Vamos fazer uma carta, via Fetorj, para que seja apurado. É mais uma forma de denegrir a imagem da torcida e ligar ela à violência.

GTA Torcidas, uma adaptação pirata de um jogo de ação, simula briga entre organizadas (Foto: Reprodução SporTV) 
 
Jogo virtual simula briga entre torcidas organizadas de nomes conhecidos no Brasil (Foto: Reprodução SporTV)
 
Para o coronel João Fiorentini, comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), as organizadas têm papel fundamental neste processo.

- Se os presidentes e representantes de torcida organizada fizerem valer o seu direito e retirar a presença de sua marca, acho que esse jogo tende a ser extinto.