Total de visualizações de página

Fluminense rebate acusações da Portuguesa: 'Não resguardar o regulamento é virada de mesa'

Por Marcus Alves, do ESPN.com.br
O Fluminense afirma não ter sido responsável pelo movimento que pede a perda de pontos da Portuguesa
 
O Fluminense afirma não ter sido responsável pelo movimento que pede a perda de pontos da Portuguesa
 
 
Para o Fluminense, a situação divulgada na terça-feira à noite envolvendo o meia Heverton, da Portuguesa, e a acusação de escalação irregular que pode levar o clube paulista ao rebaixamento, não é difícil de ser explicada: como parte interessada na notificação feita pela CBF ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o time tricolor quer fazer valer o regulamento e apenas proteger os seus interesses no caso.

O advogado Mário Bittencourt nega que a equipe tenha sido responsável pela denúncia, conforme acusa a diretoria lusitana, e cita como exemplo a coletiva de imprensa dada pelo presidente Peter Siemsen durante o dia de ontem.

"Não tem nada a ver com o Fluminense. Estávamos planejando a Série B quando a imprensa revelou tudo isso e, então, fizemos uma reunião pela noite. Não existe nada mais sincero do que a entrevista do presidente nesta terça", afirma ao ESPN.com.br.

"O Fluminense está falando do ponto de vista técnico. Não há outro motivo a não ser técnico. O Regulamento Geral das Competições, no artigo 52, diz que o departamento de competições (da CBF) deve verificar as informações e encaminhar, se necessário, ao STJD, que aplicará a pena. Isso acontece em todas as rodadas desde que se encontre irregularidade. É uma ação administrativa da CBF, corriqueira, comum. Qualquer outra discussão sobre a punição ser cumprida a partir de segunda-feira não existe, o código é claro", prossegue.

Em caso de pena para a Portuguesa, a equipe perderia quatro pontos - três mais um somado no empate em 0 a 0 com o Grêmio -, despencaria para 44 e, assim, ficaria abaixo do Fluminense. Os representantes do clube acusam os cariocas de estarem se movimentando politicamente para evitar a queda para a Série B.

Nas Laranjeiras, a teoria é desmentida. Não existe internamente nenhuma preocupação em manchar a imagem do time com uma nova decisão extracampo pelo entendimento de que não se trata de uma tentativa de ‘virada de mesa'.

"Você está descumprindo o regulamento, que foi o que a vida toda se crucificou no Brasil e hoje está se cumprindo. Apenas um exemplo para você: o Felipe foi suspenso numa sexta-feira, pegou duas partidas e, no mesmo dia, entrei com efeito suspensivo para poder jogar contra o Flamengo e foi negado. O que eu digo agora para a minha diretoria? Ele não atuou e perdemos o Fla-Flu. Se a Portuguesa não sofre perda de pontos, irão me devolver os nossos três?", pergunta Mário Bittencourt.

"O Fluminense quer somente o cumprimento do regulamento. Na nossa opinião, não resguardar a legislação seria virar a mesa. Nos últimos dez anos, o Estatuto do Torcedor mudou, o CBJD também, não tivemos nenhum problema na era dos pontos corridos ou situações idênticas a essa. A preocupação é puramente técnica", completa.

Ainda no aguardo do posicionamento da CBF, o Fluminense deixa claro que, se preciso, tomará as medidas necessárias para defender seus interesses. Outros times diretamente interessados nessa história também poderiam se juntar.

"Existe a questão da Sul-Americana, por exemplo. Qualquer clube que possa subir de posição, o Bahia, o Inter, tem interesse nisso. O Criciúma mesmo tem um grande interesse que ninguém está falando. Se o Vasco consegue o caso dele e a Portuguesa não perde os pontos, se fizermos a contagem dos pontos, ele teria o maior interesse em entrar (no movimento)", conclui.

A Portuguesa deverá ser notificada pelo STJD ainda nesta quarta-feira à noite.
PVC explica antigos casos de 'tapetão', e Mauro Cezar analisa: 'Flu está entrando de carona de novo'


                                                     VER VÍDEO AQUI
video