Total de visualizações de página

Simpatia, desenvoltura, voz marcante: Léo Batista faz 65 anos de profissão

Ao completar oito décadas de vida e quase sete de carreira, um dos maiores apresentadores da TV Globo lembra momentos vivenciados no jornalismo

 

Por SporTV.com Rio de Janeiro

video
 
Em 2012, uma das figuras mais importantes da televisão brasileira completou 80 anos de idade e 65 de carreira. Para celebrar o aniversário de Léo Batista, o "Sportv Repórter" fez uma homenagem ao apresentador, contando a história de vida e a trajetória profissional do dono da voz marcante do jornalismo esportivo.

- O Léo Batista é a voz do esporte na televisão brasileira. Por ter uma dicção perfeita, por ser simpático e por passar a informação com clareza sem gritar - reconhece o ex-diretor da TV Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, conhecido como Boni.

João Baptista Belinaso nasceu em Cordeirópolis, interior de São Paulo, e começou na profissão trabalhando no serviço de alto-falantes da cidade. Ele passou por pequenas rádios paulistas e superou muitos obstáculos para realizar transmissões de partidas de futebol com os poucos recursos disponíveis na época.

Em 1951, o apresentador chegou ao Rio de Janeiro para trabalhar na Rádio Globo, onde recebeu o pseudônimo pelo qual é conhecido. Durante uma transmissão ao vivo, o jornalista Luiz Mendes teve dificuldade para pronunciar o nome de João Belinaso e determinou que o novato adotasse um apelido artístico.

Léo Batista SporTV Repórter (Foto: Reprodução SporTV) 
No cenário do "Globo Esporte", Léo Batista lembra
histórias da carreira (Foto: Reprodução SporTV)

- Durante a resenha que fazíamos após o programa, ele disse: "Ôh, paulistinha, troca esse nome ou você está fora". Eu tentei argumentar, mas não adiantou. Fui rebatizado pelo Luiz Mendes - lembra o apresentador.

O "paulistinha" fez uma lista de opções para a equipe da rádio votar e a escolha foi unânime: Léo Batista. O "Léo" veio da irmã Leonilda, cujo apelido é Nilda, o "Belinaso" foi dispensado e o "Baptista" perdeu a letra "p".

Ele começou a atuar na televisão em 1955, na TV Rio. Passou pela TV Excelsior e, 15 anos depois, estreou na TV Globo, onde acompanhou o surgimento de programas como o "Globo Esporte" e o "Esporte Espetacular".

Superintendente de produção e programação da TV Globo na época, Boni foi o responsável por autorizar a contratação do apresentador pela emissora. Para ele, a capacidade que Léo Batista tem de improvisar, herdada dos anos de trabalho no rádio, foi um dos fatores determinantes para seu sucesso na profissão.

- Ele tem "jogo de cintura". Na televisão, jogamos tarefas nas costas do Léo para as quais ele não estava preparado, mas o hábito de improvisar o tornava capaz de fazê-las magnificamente bem - reconhece Boni.

FRAME Leo Batista (Foto: Reprodução) 
Na TV Globo, Léo Batista acompanhou o nascimento
do programa "Globo Esporte" (Foto: Reprodução)
Após 65 anos de carreira, Léo Batista admite que o nervosismo sentido ao apresentar um jornal já não existe mais. O cenário do "Globo Esporte", programa que comanda aos sábados, hoje é quase como a sua sala de casa.

- Quando o programa entra no ar, eu me sinto em casa, sentado na sala, de chinelo, bebendo um chá. Sinceramente, eu não consigo ficar nervoso. É costume, são 65 anos.

Além da tranquilidade, as quase sete décadas de profissão trouxeram um grande número de admiradores ao apresentador. Idolatrado nas ruas do Rio de Janeiro, o dono da voz marcante também conquistou fãs nos corredores da TV Globo. Entre eles, Galvão Bueno e o narrador Luis Roberto, autor do bordão que se tornou quase um sinônimo do nome de Léo Batista.

- Durante uma transmissão, eu estava pensando "vou chamar aquela voz que tanto me marcou", e saiu "Léo Batista, a voz marcante da televisão brasileira". O Léo é uma escola que nós temos. O que mais chama a atenção é a correção com que ele fez tudo o que fez ao longo dos anos nos esporte - elogia Luis Roberto.

- Eu tenho uma admiração enorme pelo Léo. Ele faz parte da minha formação profissional e do meu imaginário do que deve ser um profissional de televisão - revela Galvão Bueno.