Total de visualizações de página

Carlos Alberto Torres elogia papel de Félix em 70: 'Grande goleiro'

Capitão do tri lamenta morte do ex-companheiro e diz que ele foi muito importante para a conquista do Brasil no México

 

Por SporTV.com São Paulo


video

 
A coragem de Félix Mielli Venerando, morto na manhã desta sexta-feira, aos 74 anos, em São Paulo, pode ser traduzida em um lance. A Copa de 70, aquela que tornou o Brasil tricampeão do Mundo, teve o arqueiro que jogava sem luvas como um dos protagonistas. No jogo diante da Inglaterra, então campeã mundial, ele fez uma de suas maiores defesas. Quando a partida, duríssima, ainda estava 0 a 0, o atacante Lee cabeceou à queima-roupa. Félix defendeu, mas deu rebote e foi acertado no rosto pelo inglês. Lance que não é esquecido pelo capitão do tri, Carlos Alberto Torres. Que ressalta a importância do camisa 1 para a conquista no México.

- Foi uma grande perda, ele era uma pessoa excepcional, um grande amigo. Foi contestado na época. Não é o melhor dos goleiros do Brasil, mas era um grande goleiro, com um ótimo posicionamento. E um grande amigo. Eu gostava muito dele, era o mais velho do grupo na Copa e com essa experiência ajudou muito no trabalho de unir o grupo. Muita coragem na defesa no jogo da Inglaterra, que era um jogo muito importante. Sabíamos que teríamos que vencer para pelo menos chegar à final. A Inglaterra era a favorita, campeã mundial, pressionou muito a gente no fim do jogo e ele foi muito importante, fez grandes defesas. O Félix foi muito importante para a nossa conquista - declarou um emocionado Carlos Alberto Torres ao “Arena SporTV” desta sexta-feira.

Nascido em Caratinga, em Minas Gerais, Félix iniciou a carreira no futebol paulista. Defendeu o Nacional, da capital paulista, o Juventus e, logo em seguida, a Portuguesa. No entanto, foi no Rio de Janeiro que o goleiro viveu seu auge. Félix defendeu o Fluminense entre 1968 e 1976, quando se aposentou.


Por conta no período passado no clube, o Fluminense decretou luto oficial de sete dias e bandeiras a meio mastro por causa da morte do ídolo, em decorrência de um enfisema pulmonar.

Ele fez 319 partidas com a camisa tricolor. Félix conquistou o Campeonato Brasileiro de 1970, os cariocas de 1969, 1971, 1973, 1975 e a Taça Guanabara de 1975. A leveza de seus voos atrás dos chutes adversários lhe rendeu o apelido de “Papel” e um lugar no coração dos torcedores tricolores.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) determinou um minuto de silêncio em todas as partidas da 19ª rodada do Campeonato Brasileiro em homenagem ao ex-goleiro.