Total de visualizações de página

Projeto de lei quer tirar organizadas dos estádios em casos de violência

Proposta ainda dependente de votação ganha força no momento em que a cúpula de segurança do Rio promete endurecer cerco a torcedores violentos

 

Por SporTV.com Rio de Janeiro


video
 
Um projeto de lei em trâmite na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) pretende regulamentar a distribuição dos ingressos de partidas de futebol a torcidas organizadas dos times cariocas. A ideia consiste na criação de um órgão público para fiscalizar e monitorar os torcedores através de um cadastro, que seria atualizado a cada seis meses. De autoria conjunta dos deputados estaduais Gilberto Palmares (PT) e Luiz Paulo (PSDB), a lei propõe que, em caso de episódios de violência, toda a facção poderá ser proibida de entrar no estádio. Se aprovada, a legislação poderá se tornar um divisor de águas no combate à criminalidade cada vez mais infiltrada nas arquibancadas.

- Não adianta dizer que não tem culpa, que foi um membro ou outro. Se foi daquela torcida organizada, o coletivo tem que ter responsabilidade também - afirmou Palmares, em entrevista ao "SporTV News".

O projeto foi votado no último mês de abril. Como sofreu emendas, voltou à Comissão de Constituição e Justiça da Alerj e, em breve, voltará a plenário. A proposta ganha força no momento em que a cúpula de segurança do Estado do Rio reforça a intenção de fechar o cerco aos torcedores violentos.

Torcedores do Fluminense presos (Foto: Domingos Peixoto / Agência o Globo) 
Torcedores do Fluminense foram presos no último
sábado (Foto: Domingos Peixoto / Agência o Globo)
 
Na última terça-feira, na inauguração de duas unidades de Polícia Pacificadora, na Zona Norte da cidade, o governador Sérgio Cabral disse que a prisão de 23 integrantes da torcida Young Flu, do Fluminense, no último sábado, foi uma demonstração da atitude contra os marginais que a polícia adotará daqui para a frente.

- Só tem uma forma de coibir isso, agindo energicamente como estamos agindo, são delinquentes que prejudicam o espetáculo maior - disse.

A chefe de polícia civil do Rio, Martha Rocha, também acredita que proibir a presença de torcedores violentos nos estádios pode ajudar a diminuir a violência no futebol.

- Eu defendo a tese de que essas pessoas, essas torcidas, não podem receber ingressos, se a torcida foi impedida de ingressar no estádio, e a gente está aguardando a manifestação do MP, acho que nesse sentido também não deveria ganhar o ingresso - afirmou

A torcida Jovem Flamengo está impedida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ir aos estádios acompanhar os jogos do time desde a última terça-feira. A suspensão é por seis meses. Segundo a polícia, no dia 19 de agosto, integrantes da organizada mataram o torcedor do Vasco Diego Leal antes de um clássico entre as duas equipes válida pelo Campeonato Brasileiro.