Total de visualizações de página

Torcida do Botafogo protesta, mas aplaude vitória no fim

Com Oswaldo de Oliveira e Anderson Barros como alvos, faixas reclamando da falta de atacantes no elenco foram estendidas no estádio

 

Por Thales Soares Rio de Janeiro

video

A torcida do Botafogo vem demonstrando sua impaciência com o técnico Oswaldo de Oliveira e o fato de o time não ter opções para o ataque. Na vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba, neste domingo, no Engenhão (veja os gols no vídeo ao lado), pelo Campeonato Brasileiro, faixas contra o treinador e o gerente de futebol Anderson Barros foram colocadas na arquibancada do Setor Leste. O resultado amenizou o clima, mas em momento algum a manifestação visual foi interrompida. Apenas 2.616 pagantes, 4.241 torcedores no total, assistiram à partida.

Antes mesmo do início do jogo, a pequena torcida presente, mais uma vez, começou a reclamar. Quando o nome do técnico Oswaldo de Oliveira foi anunciado no telão do Engenhão, vaias fora ouvidas, acompanhadas de xingamentos e gritos de "Fora, Oswaldo", frase também escrita em uma das faixas estendidas na arquibancada.

Protesto torcida botafogo estádio engenhão (Foto: Thales Soares / Globoesporte.com) 
 
Torcida protesta com faixas no Engenhão (Foto: Thales Soares / Globoesporte.com)
 
Além da perseguição ao treinador, Anderson Barros também foi alvo de duas faixas que pediam a sua saída do cargo. Outra reclamava da falta de atacantes no elenco: "Cadê o ataque?".

A situação começou a ser amenizada com o gol de Elkeson, aos 14 minutos do primeiro tempo, de cabeça, completando a cobrança de escanteio de Lodeiro. O jogador é justamente a opção de Oswaldo para ocupar a posição de atacante. Ele fez o seu sexto gol no Campeonato Brasileiro.

Com o Botafogo na frente, a relação melhorou, mas rapidamente estremeceu. Aos 20 minutos, Elkeson cobrou mal o pênalti sofrido por Renato e deixou a torcida voltou a ficar reticente e amarga. No entanto, aos 28, Lodeiro celebrou a paz ao fazer o segundo gol, em passe de Lucas.

Na saída para o intervalo, os jogadores receberam aplausos, algo que não vinha acontecendo. Oswaldo também não foi xingado. Entre altos e baixos no relacionamento com a arquibancada durante o segundo tempo, a torcida só demonstrou irritação aos 28 minutos, quando o treinador chamou Amaral para substituir Renato.

Apesar das reclamações dos torcedores em certos momentos, o saldo acabou sendo positivo para Oswaldo. Pelo menos, saiu de campo sem ser vaiado e com a vitória, que encerrou um jejum de três jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, e o time recebeu aplausos, com todos os jogadores deixando o gramado do Engenhão juntos.